Vendo o mundo com outros olhos

Disciplina: Biologia
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Genética, probabilidade
Tipo: Materiais didáticos

Objetivo:

  • Estimular a percepção dos alunos com relação aos conceitos biológicos envolvidos em situação cotidiana e entender casos especiais de genes recessivos ligados ao sexo, que são situados em região especial apenas do cromossomo X.
  • Relacionar características fenotípicas e genotípicas dos indivíduos.
  • Calcular probabilidades não apenas de indivíduos daltônicos, mas as demais probabilidades reais envolvidas, principalmente as que são ligadas ao sexo como a hemofilia.
  • Comparar com os colegas a diversidade de casos que envolvem esses conceitos de genética e probabilidade.

Clique aqui e conheça o conteúdo

Texto Original: Rived

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

O caso do rebanho de Jacó

Disciplina: Biologia
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Biodiversidade, evolução, genética, população, probabilidade, saúde, seres vivos, sexualidade
Tipo: Materiais didáticos

Objetivo:  Reconhecer que indivíduos que apresentam um mesmo fenótipo podem apresentar genótipos diferentes. Elaborar suposições sobre o fenômeno estudado.

Pré-Requisito: Não há.

Observações: Dentre as idéias iniciais, caso o professor encontre um predomínio de palavras como DNA, gene, cromossomo, material genético, ele deve realizar a atividade 4 para organizar tais idéias. Nesse caso, a atividade 2 será realizada em outro momento. Caso o predomínio seja de expressões como gametas, dominante, recessivo, heterozigoto, homozigoto, o professor pode prosseguir com a atividade 2.

Autoria: Miguel Thompson, Rodrigo Venturoso, Anna Christina de Azevedo Nascimento, Wellington Moura Maciel, Diogo Pontual, Juliana Rangel, Silvana Nietske, Danilson de Carvalho – SEED/MEC

Clique aqui e conheça o conteúdo

Texto Original: Rived

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Genética – As idéias de Mendel

Disciplina: Biologia
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Estatística, genética, probabilidade, saúde, sexualidade
Tipo: Materiais didáticos

Objetivo:  Relacionar os conceitos de célula, gene, alelos, DNA e cromossomo; reconhecer que indivíduos que apresentam um mesmo fenótipo podem apresentar genótipos diferentes; elaborar suposições sobre os fenômenos estudados; elaborar esquemas para resumir os experimentos de Mendel; interpretar textos sobre célula, cromossomos, DNA, etc; compreender algumas das idéias apresentadas por Mendel, principalmente a segregação dos fatores; conhecer os experimentos que permitiram Mendel chegar as idéias de segregação dos fatores; propor hipóteses sobre herança aplicando as idéias de Mendel; testar hipóteses sobre herança; relacionar os conceitos modernos da Genética com as idéias de Mendel.

Pré-Requisito: O aluno deve ter trabalhado os tópicos de Citologia e a reprodução (principalmente a de angiospermas).

Autoria: Miguel Thompson, Rodrigo Venturoso, Anna Christina de Azevedo Nascimento, Wellington Moura Maciel, Diogo Pontual, Juliana Rangel, Silvana Nietske, Danilson de Carvalho – RIVED/SEED/MEC

Clique aqui e conheça o conteúdo

Texto Original: Rived

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Colocando as coisas no lugar

Disciplina: Biologia
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Estatística, genética, probabilidade
Tipo: Materiais didáticos

Objetivo:  Relacionar os conceitos de célula, gene, alelos, DNA e cromossomo; interpretar textos.

Pré-Requisito: Ter trabalhado os tópicos de Citologia.

Autoria: Miguel Thompson, Rodrigo Venturoso, Anna Christina de Azevedo Nascimento, Wellington Moura Maciel, Diogo Pontual, Juliana Rangel, Silvana Nietske, Danilson de Carvalho – SEED/MEC

Clique aqui e conheça o conteúdo

Texto Original: Rived

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Probabilidade: A Matemática ao acaso

Probabilidade: A Matemática ao acaso

Disciplina:

Matemática

Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Estatística, Probabilidade, Progressão aritmética
Tipo: Materiais didáticos

Objetivo:  Apresentar, de maneira formal, os conceitos básicos da Teoria de Probabilidade; incentivar o desenvolvimento intuitivo do estudante.

Autoria: Walter Spinelli, Maria Helena Souza, César Nunes, Oort tecnologias

Clique aqui e conheça o conteúdo

Texto Original: RIVED

 (CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)
30/08/2007

O RPG e os poliedros de Platão

O RPG e os poliedros de Platão

Disciplina:

Matemática

Ciclo: Ensino Médio

Assunto: Probabilidade

Tipo: Jogos

O jogo chamado RPG (*) – “Role Playing Games” ou “Jogo de Interpretação de Papéis” – utiliza em algumas situações os poliedros regulares de Platão (por exemplo, o dado cúbico de seis faces), devido à propriedade que possuem de que cada face tem a mesma chance de ser sorteada.

Em um momento do jogo, os participantes têm de escolher uma determinada alternativa entre seis possíveis, utilizando para isso o dado cúbico (hexaedro) para sortear uma delas. Esse dado é usado em qualquer situação análoga que envolva seis alternativas de escolha, porque garante igual chance para cada uma das seis faces.

Para outras situações do jogo, em que as possibilidades de escolha são quatro, oito, doze ou vinte, utilizam-se os demais poliedros regulares de Platão: tetraedro, octaedro, dodecaedro e icosaedro. Provavelmente a situação é similar à do dado cúbico, pois todos esses poliedros possuem como característica o fato de que cada face tem a mesma chance de ser sorteada.

O professor lança, então, um desafio aos alunos – “Por que isso ocorre?”. Pede para que eles, em grupos, montem os poliedros conforme as planificações anexas (veja planificação de cada poliedro: tetraedro, hexaedro, octaedro, dodecaedro e icosaedro) e escrevam suas hipóteses a respeito das chances iguais de suas faces serem sorteadas.

Depois, retoma com eles os elementos de um poliedro — vértice, face e aresta — e pede para que preencham a planilha anexa.

Pode-se pedir para que eles identifiquem uma relação quantitativa entre o número de vértices, faces e arestas, por meio da relação de Euler:
V + F = A – 2.

Manipulando os poliedros, o professor incentiva-os a descobrirem outras regularidades que possuem e que justifique a igual chance de sorteio para cada face, não esquecendo de registrar cada observação.

É importante lembrar que os poliedros de Platão são polígonos regulares, nos quais cada vértice possui o mesmo número de arestas, resultando em uma simetria que garante a distribuição equilibrada, ou seja, a mesma probabilidade de sorteio para cada face.

Para finalizar, o professor pede para que os alunos leiam suas hipóteses, problematizando-as, procurando relacioná-las às características explicitadas no parágrafo acima por meio de um texto coletivo.

(*) Veja mais informações sobre RPG na Revista EducaRede (RPG na Educação) ou em Turbine sua aula (RPG para estudar História).

Texto original: Edna Aoki
Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)