Lidando com a dispensa de forma educativa

Disciplina: Educação Física
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Dispensa médica e dispensa de trabalho
Tipo: Metodologias

No decorrer do ano, é comum o professor se deparar com a situação de alunos que apresentam atestados de dispensa das aulas de Educação Física, pelos mais diversos motivos: lesões, fraturas, doenças crônicas, trabalho e outros.

A atitude mais comum da maioria dos professores da área é recolher o atestado do aluno e dispensá–lo das aulas, ou pedir um trabalho pouco significativo tanto para o aluno quanto para o professor. O objetivo desta dica é oferecer algumas possibilidades para minimizar esse problema.

Em primeiro lugar, sugerimos que o professor formalize essa situação, evitando receber o atestado em momento ou lugar inadequado (corredor, cantina etc.) e que marque uma entrevista com o aluno para receber o atestado e discutir o motivo da dispensa. Algumas questões podem ser feitas em relação ao aluno que apresenta dispensa:

  • O aluno está impossibilitado de fazer qualquer tipo de atividade física?
  • Qual o período de duração da dispensa?
  • Quais foram as recomendações médicas?
  • Em caso de dispensa de trabalho, que tipo de trabalho esse aluno realiza?Tudo isso deve ser anotado no diário, para posterior acompanhamento. Feito o diagnóstico, o professor deve adequar uma alternativa às reais possibilidades do aluno. Por exemplo:
  • O aluno não pode correr, mas pode realizar um trabalho de alongamento ou caminhada.
  • O aluno está se recuperando de uma fratura, talvez possa usar a aula para fazer exercícios de fisioterapia.No caso do aluno totalmente impossibilitado de realizar a aula prática, o professor deve esclarecer que a Educação Física trabalha também com elementos teóricos e discutir uma forma de prosseguimento de trabalho adequada à situação.

    Por exemplo, o aluno pode ser técnico de uma equipe, organizar um campeonato, ser juiz (em alguns esportes), estudar tática, ler um livro relacionado ao assunto, fazer um seminário para os colegas, preparar uma trilha sonora para uma aula de dança.

    Quando o motivo for profissional, talvez um trabalho teórico venha a sobrecarregar o aluno, pois sabemos que é muito difícil conciliar estudo e trabalho. Além do mais, cabe ao professor orientar para que esse aluno não se torne uma pessoa sedentária. Junto com ele, é possível encontrar atividades físicas compatíveis com a situação, tais como:

  • Caminhar ou andar de bicicleta pode ser uma boa solução para a manutenção da saúde. O aluno pode utilizar os percursos casa–trabalho, trabalho–escola ou escola–trabalho.
  • Planejar para o aluno uma planilha de exercícios que ele possa fazer nas horas vagas: alongamentos, exercícios localizados e aeróbicos.
  • Orientá-lo para que ele reivindique de seu empregador atividade física para os empregados e prevenção para trabalhos que envolvam esforços repetitivos.

Por fim, é importante marcar retornos freqüentes com esse aluno para fazer um acompanhamento. Esse trabalho deve ser avaliado pelo professor com a mesma seriedade dada ao restante da turma.

Agindo dessa forma, o professor valoriza a sua disciplina ao ampliar o seu raio de ação, evitando que alunos usem a dispensa como “desculpa” e, ao mesmo tempo, acolhendo os alunos que apresentam uma impossibilidade real, mantendo-os inseridos no grupo e vinculados à disciplina.

Texto original: Iza Anaclêto e Mônica Arruda Xavier
Edição: Educarede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)