O desenvolvimento da agricultura e a destruição do cerrado

Disciplina: Biologia
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Preservação ambiental e desenvolvimento econômico
Tipo: Metodologias

Atualmente, no Brasil, vivemos alguns dilemas ambientais importantes. Um deles diz respeito ao uso intensivo do cerrado para a produção agrícola, particularmente de soja, arroz e feijão.

O cerrado é o segundo bioma em área no Brasil. Localizado quase inteiramente na região Centro-Oeste, esse bioma, também conhecido como savana brasileira, tem como paisagem característica uma vegetação baixa de gramíneas (campos) com árvores baixas, dispersas e espaçadas. Essas árvores apresentam troncos retorcidos e com cascas grossas que as protegem do fogo, bastante comum em épocas de seca.

Desde a transferência da capital do País para Brasília, nos anos 1960, a utilização do cerrado para a criação de gado tem aumentado consideravelmente. Até os anos 1980, as terras desse bioma eram consideradas impróprias para o plantio. No entanto, técnicas modernas de correção do solo, com uso intensivo de adubos químicos e defensivos agrícolas (agrotóxicos), têm proporcionado um aumento vertiginoso da produção de soja, que é exportada principalmente para a Europa. Nos últimos anos, a produção de algodão passa pelo mesmo processo.

Este é um exemplo complexo e interessante que envolve:

  • de um lado, a necessidade de produção e geração de riquezas para o País;
  • de outro, o problema da preservação ambiental e da sobrevivência de populações nativas (em particular os índios), que são expulsas de suas terras de origem pela expansão da monocultura intensiva ocorrida nas últimas décadas nos Estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Tocantins, principalmente.

O principal objetivo dessa atividade é estimular o debate sobre esse problema. Um modo interessante para trabalhar esse tema com os alunos é dividir a classe em dois grandes grupos:

  • um que defenda a expansão da agricultura da forma como está ocorrendo, buscando argumentos que a justifiquem;
  • e outro, contrário a esse modelo de desenvolvimento que pode trazer conseqüências desastrosas a médio e longo prazos como, por exemplo, o esgotamento dos solos, a poluição de rios pelos venenos, e os prejuízos sofridos pelas populações locais.

Para o debate são necessários:

  • indicações para pesquisa;
  • organização do tempo;
  • roteiro para que os alunos não se percam etc.

Além disso, é importante combinar como o processo de discussão vai funcionar para que os grupos possam expor seus argumentos e garantir a participação da classe toda.

Cada grupo pode obter informações e preparar seus argumentos por meio de pesquisas na Internet (digitando “cerrado” em um site de busca, por exemplo), ou mesmo procurando especialistas sobre o assunto e fazendo entrevistas. Artigos de jornal sobre o tema são freqüentemente publicados e também podem servir de fonte de informações para os grupos.

Incentive os alunos a preparar da melhor forma possível os argumentos, procurando entender o raciocínio de cada uma das partes envolvidas. Essa é uma boa forma de fazer com que eles compreendam como esses problemas são complexos e não se resolvem com uma tomada de posição simplista.

Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *