Extração de DNA de cebola

Disciplina: Biologia
Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Genética, Biologia Molecular
Tipo: Metodologias

Para iniciar um trabalho sobre material genético, em Genética ou Citologia, pode-se realizar uma experiência de extração total de DNA de células de cebola. A atividade é relativamente simples e pode ser realizada na própria sala de aula.

No entanto, antes de iniciá-la, o professor deve propor aos alunos uma conversa, levantar as expectativas que eles têm sobre o assunto e registrá-las. É importante, também, solicitar que façam um levantamento, em casa ou na biblioteca, sobre a forma como o DNA encontra-se nas células e estabelecer um significado para a expressão “extração de DNA”.

As substâncias químicas presentes no interior das células interferem em toda a organização e funcionamento do organismo dos seres vivos. A substância central nesse processo é o ácido desoxirribonucléico, ou simplesmente DNA.

O processo de extração de DNA é o começo do estudo molecular dos genes. A partir do isolamento (extração) da substância química DNA, é possível, por meio de diferentes métodos químicos, identificar genes, fazer o seqüenciamento de nucleotídeos que compõem esse DNA e localizar seqüências homólogas (iguais ou similares) a seqüências encontradas em outros seres vivos. Mãos à obra!

Material:

  • 1 cebola grande
  • 1 faca de cozinha
  • 1 colher de sopa ou copinho plástico para café
  • 1 colher de chá
  • equipamentos para realizar um banho-maria (+ou-60º C): cuba, tela de amianto, tripé e termômetro
  • água filtrada
  • sal de cozinha
  • detergente neutro incolor para louça
  • álcool etílico 95% gelado (abaixo de 4º C)
  • gelo
  • gelo seco (para resfriar o álcool)
  • bastão de vidro ou palito de dente
  • filtro de café
  • 2 copos de vidro transparente
  • 1 funil
  • 2 caixas de isopor (uma com gelo seco para estocagem do álcool e outra com gelo para uso dos alunos)Procedimento:O professor, em qualquer experimento, deve tomar todas as precauções necessárias para a manipulação de materiais, de modo a prevenir qualquer tipo de acidente com os alunos.
  • Pique a cebola em pedaços pequenos, com cerca de 0,5 cm;
  • Coloque 4 colheres de sopa (ou 1 copinho para café) de detergente e 1 colher de chá de sal em meio copo de água. Mexa bem até dissolver completamente o sal e o detergente;
  • Acrescente a cebola picada ao copo e deixe a mistura em banho-maria por cerca de 15 minutos. Caso não seja possível colocar em banho-maria, deixe a mistura de cebola, detergente e sal exposta ao sol por aproximadamente 30 minutos (sol forte e sem vento). Durante esse tempo de espera, pode-se aproveitar para comentários e questionamentos.
  • Resfrie a mistura rapidamente, colocando o copo no gelo por 5 minutos;
  • Filtre a mistura recolhendo o líquido filtrado no copo limpo;
  • Adicione 1/2 copo de álcool gelado* ao líquido filtrado, deixando-o escorrer vagarosamente pela borda; não se deve deixar o álcool misturar-se com o líquido filtrado. Formam-se duas fases bem nítidas – a superior alcoólica e a inferior aquosa. Entre as duas fases, forma-se uma faixa esbranquiçada ou viscosa, menos evidente, que concentra a maior parte do DNA extraído;
  • Mergulhe o bastão ou um palito de dente no copo e, com movimentos circulares, procure movimentar a faixa intermediária esbranquiçada. Dependendo da quantidade de DNA, será possível ver que uma substância viscosa se adere ao palito ou bastão.Depois de pescar o DNA de cebola com o palito, é comum que alguns alunos queiram levar o material ao microscópio para visualizá-lo. Deixe que façam isso, se for possível. Logo perceberão que não podem distinguir nada, uma vez que o poder de resolução do microscópio óptico não é suficiente para revelar a estrutura da molécula de DNA.Durante e depois da experiência, o professor pode colocar questões que estimulem os alunos a refletirem sobre o experimento que realizaram. É importante que eles descrevam suas observações e impressões sobre esse experimento.

    Propor aos alunos que eles:

  • Identifiquem que relações têm a substância viscosa do experimento com as imagens de DNA que aparecem nos livros didáticos. Essa é uma boa oportunidade para discutir o significado dos modelos de representação utilizados nos livros didáticos.
  • Expliquem o porquê da utilização do detergente nesse experimento.
  • Pensem por que foi necessário manter a mistura de cebola e detergente em banho-maria ou aquecida ao sol.
  • Descubram de que forma o papel do calor poderia ser testado.
  • Expliquem o fato de o álcool e a água formarem fases distintas.*Álcool gelado: a temperatura do álcool é um fator determinante nesse experimento. No caso, quanto mais gelado melhor. O álcool deve estar a uma temperatura abaixo de –4° C.Texto original: Paulo Roberto da Cunha
    Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *