Zero é dez

Zero é dez

Disciplina:

Matemática

Ciclo: Ensino Fundamental – 5ª a 9ª
Assunto: Aritmética
Tipo: Metodologias

O objetivo dessa atividade é criar em sala de aula um ambiente propício para o entendimento do papel do zero ao longo da história da invenção dos números, por meio da leitura do texto “Zero é dez”, de Oscar Pilagallo, publicado no caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, de 25/2/2002, e de pesquisa sobre sistemas de numeração antiga.

Para isso, converse com seus alunos e descubra o que eles sabem a respeito do sistema de numeração decimal. Provavelmente eles indicarão algumas características, tais como:

  • Os algarismos, símbolos utilizados para representar as quantidades, são: 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9.
  • O princípio de agrupamento desse sistema é 10, daí o nome “decimal”. Cada 10 unidades de uma ordem forma uma unidade de ordem superior, que escrevemos à esquerda da primeira.
  • É posicional, isto é, o valor do algarismo em um número depende da posição ocupada por ele.

Com o objetivo de ampliar a discussão com os alunos sobre o papel do zero, proponha-lhes a seguinte questão: qual é o papel do zero nesse sistema?

Para trabalhar essa questão, organize os alunos em grupos e distribua o texto “Zero é dez” para que eles o leiam e nele recolham informações sobre o papel do zero na representação dos números. Solicite a cada grupo que sintetize essas informações em um cartaz a fim de subsidiar a discussão em sala de aula.

Algumas questões para serem discutidas e aprofundadas:

  • Segundo o texto, o zero surgiu a partir da necessidade dos sistemas de numeração em que se usou o princípio de posição. Partindo do nosso sistema de numeração decimal dê alguns exemplos.
  • De acordo com o texto, os sábios da Babilônia, chineses e maias tatearam um conceito de zero. Para que os alunos possam entender a aproximação do sistema de numeração desses povos com a idéia do zero, proponha-lhes uma pesquisa no livro “Os números na história da civilização”, de Luiz Márcio Imenes, com a intenção de fazê-los entender a aproximação do sistema de numeração desses povos com a idéia do zero.
  • Por que o sistema de numeração romano é citado no texto como imprestável em relação ao sistema hindu arábico?

Para concluir a atividade convide os alunos a elaborar um pequeno texto relacionando o título “Zero é dez” com o que aprenderam sobre o zero. Depois, combine com eles como farão a divulgação do texto produzido: enviarão por e-mail para amigos e familiares? Montarão um varal de textos na sala, nos corredores ou em outro local por eles definido? O importante é que o texto circule…

Referência
IMENES, Luiz Márcio. Os números na história da civilização. São Paulo: Scipione (Coleção Vivendo a Matemática)

O site indicado neste texto foi visitado em 25/03/2004

Edição: Equipe EducaRede

25/03/2004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *