Valorização e socialização do vocabulário

 

Valorização e socialização do vocabulário

Disciplina:

Língua Inglesa

Ciclo: Ensino Fundamental – 5ª a 9ª
Assunto: Vocabulário
Tipo: Metodologias

Para recuperar a auto-estima e motivar os alunos pouco interessados pelas aulas de Inglês, o professor pode iniciar uma conversa à respeito do que pensam sobre o ensino dessa língua. Certamente, serão ouvidos argumentos do tipo: “não sei nada de inglês”, “esqueci o que já aprendi”, “não gosto de inglês porque é muito difícil”, “é uma disciplina desnecessária”.

É importante que todos se manifestem; alguns podem querer detalhar suas dificuldades em relação à escrita, pronúncia, gramática, leitura e tradução. Outros, podem atribuir a culpa de nunca terem aprendido inglês aos professores que “quase não deram aula” ou “não ensinavam direito”.

Depois o professor deve direcionar a conversa para uma reflexão sobre a importância do inglês em nossas vidas e a sua crescente influência em todo o mundo. É importante destacar alguns exemplos dessa influência, principalmente aqueles que os próprios alunos apontarem, complementando com o que se considerar oportuno.

Por exemplo, a língua inglesa é empregada em todos os tipos de comunicação entre os povos e é de fundamental importância no mundo globalizado de hoje. Facilita as descobertas tecnológicas, além de ser um dos principais veículos de comunicação nos meios diplomáticos, no comércio mundial, nas competições esportivas, nos congressos sobre Ciência.

Cada vez aumenta o número de pessoas que estudam e falam inglês em todo o mundo. O conhecimento dessa língua permite o acesso a novas possibilidades, que vão do universo cultural (conhecimento de muitos povos e culturas diferentes da nossa) ao tecnológico.

Em seguida, o professor propõe que os alunos façam uma estimativa de quantas palavras ou expressões conhecem em inglês (que sabem a pronúncia e o significado) e transcreve esse levantamento na lousa. Quanto mais baixa for a estimativa, maior será a admiração pela constatação do que sabem.

O professor deve incentivar os alunos a lembrarem de mais palavras e expressões, sugerindo que pensem, por exemplo:

  • em aparelhos eletrônicos: on, off, review, forward, stop, play, record, pause, tape, radio, disk play, walkman etc.
  • em comida: hot-dog, cheeseburger, salad, cheese egg, fast food, French fries, baked potato, mashed potato, potato chips, pop corn etc.
  • em esportes: surf, skate, ski, bike, tennis, volleyball, basketball, football, club etc.
  • ou ainda em cores, animais, objetos, e assim por diante.Quando a lousa estiver repleta, o professor chama a atenção da classe para a quantidade de vocabulário que eles já possuem e, se achar que ainda são capazes de lembrar de mais palavras, pode sugerir que façam para a aula seguinte uma lista das palavras que lembrarem posteriormente. Essas palavras podem ser socializadas e fazer parte do vocabulário comum da classe. O professor pode, também, preparar exercícios diversos para utilizá-las, por exemplo:
  • Usar esse vocabulário nas frases que exemplificam os exercícios propostos, para facilitar o entendimento das mesmas e garantir maior participação dos alunos.
  • Pedir aos alunos que completem frases empregando o vocabulário “socializado”:I have a walkman.
    They haven’t a brother.
    Have you a potato?
    Has she a blue bike?
  • Depois de ensinar as formas afirmativas, negativas e interrogativas, pedir que construam frases com o vocabulário conhecido e/ou mudem as frases de uma forma para outra, além de fazer a tradução das mesmas:The cat is black.
    The car isn’t old.
    The girls are beautiful.
    Is a good skate?
    Are the birds big?…

    Com o vocabulário da classe ampliado e socializado, o professor terá melhores condições para desenvolver o seu trabalho e os alunos se sentirão mais motivados ao constatarem suas contribuições nas atividades realizadas.

    Obs.: É recomendável ter pelo menos um dicionário na sala de aula, para dúvidas emergentes.

    Texto original: Zelinda Campos Cardoso
    Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *