O trabalho em diferentes tempos e espaços

O trabalho em diferentes tempos e espaços

Disciplina:

Geografia

Ciclo: Ensino Fundamental – 5ª a 9ª
Assunto: Trabalho
Tipo: Filme

Uma abordagem significativa do tema “trabalho” pode ser desenvolvida a partir de sessões de três filmes que tratam do assunto em tempos e espaços diferentes.

O filme “A Classe Operária Vai ao Paraíso”, de Elio Petri, narra a história de um operário-modelo italiano, que sonha com o mundo do consumo da classe média. Em “Eles não Usam Black-Tie”, de Leon Hirszman, é realizado um retrato do Brasil a partir da história de duas famílias operárias durante o ressurgimento do movimento dos trabalhadores, no regime militar. “O Carteiro e o Poeta”, de Michael Radford, mostra como um carteiro imprimiu novo significado ao seu trabalho, ao ser contratado para entregar cartas ao poeta Pablo Neruda.

Após cada sessão, os alunos expressam em uma palavra a mensagem principal transmitida pelo filme. O professor anota e, depois, organiza um painel na lousa com o nome dos filmes e lista as palavras correspondentes. Na seqüência, os alunos, em duplas, apontam duas características do trabalho desempenhado pelos personagens dos filmes.

Em pequenos grupos (quatro ou cinco pessoas), os alunos fazem uma discussão das questões:

  • Que relação os trabalhadores do filme estabelecem com o trabalho que realizam? Por quê?
  • Há semelhanças entre o que aparece nos filmes com o trabalho nos dias atuais? Quais?Para finalizar, cada grupo produz um texto organizando as idéias discutidas e o professor sintetiza o trabalho ressaltando os pontos mais importantes sobre o assunto.

    Referências:

    A Classe Operária Vai ao Paraíso, de Elio Petri.
    Itália, 1971, 115 minutos.
    Clássico do cinema político italiano, mostra a vida de um operário que, após sofrer um acidente de trabalho, se envolve em movimentos de protesto e fica dividido entre as tentações da sociedade de consumo e as convocações da militância política revolucionária.

    Eles não Usam Black-Tie, de Leon Hirszman.
    Brasil, 1981, 127 minutos.
    Clássico do cinema político brasileiro, foi adaptado da peça teatral de Gian Francesco Guarnieri, com a ação transposta para o fim da década de 70, quando nasce o movimento sindical no ABC paulista. Aborda os conflitos e contradições desse período, a recuperação de um espaço de participação política, o aumento do desemprego, o achatamento salarial, o autoritarismo dentro das fábricas, a revolta dos jovens.

    O Carteiro e o Poeta, de Michael Radford.
    Itália/França/Bélgica, 1994, 116 minutos.
    Na década de 50, o poeta chileno Pablo Neruda, comunista, é exilado em uma pequena ilha no mar Mediterrâneo, devido às perseguições que sofre em seu país natal. Lá conhece o carteiro Mario Ruoppolo, que é muito humilde, mas com grande sensibilidade. Entre os dois surge uma bonita amizade e Mario pede a Pablo ajuda para compor uma poesia para a garota pela qual se apaixonou.

    Texto original: Regina Inês Villas-Boas Estima
    Edição: Equipe EducaRede

 (CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)
27/06/2002

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *