O Grande Ditador

O Grande Ditador

Disciplina:

História

Ciclo: Ensino Médio
Assunto: Adolf Hitler e o Nazismo
Tipo: Filme

Onde encontrar: Videolocadoras

“Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de ajudar – se possível – judeus, o gentio… negros… brancos.”

Assim se inicia o discurso de um dos personagens desse filme notável do cineasta Charles Chaplin. Humanista, libertário, crítico, pacifista – o discurso final de “O Grande Ditador” despregou-se do filme e correu o mundo, acolhido em todos os lugares em que a injustiça e a desigualdade precisavam ser denunciadas. Ele faz parte da galeria de textos inesquecíveis, como a Carta do Chefe Seattle e a Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão.

Esse texto é um importante material para ampliar a discussão de temas como o Nazismo e a Segunda Guerra Mundial, ou mesmo os conflitos europeus contemporâneos.

O assunto do filme se revela a todos pelo título e logo na apresentação dos personagens: trata-se de um país imaginário chamado Tomânia, governado pelo ditador Adenoid Hynkel, alter ego de Hitler. Como se pode ver, trata-se da Alemanha de Hitler, em plena ascensão do Nazismo e início da Segunda Guerra Mundial.

Em um artigo de jornal escrito em 1939, Chaplin declarou que “’O grande ditador’ poderia ser o título de uma comédia, de uma tragédia ou de um drama; eu quis fazer um coquetel de todos esses gêneros e traçar um perfil, ao mesmo tempo grotesco e sinistro, de um homem que acreditava ser um super-herói e pensava que sua opinião e sua palavra eram as únicas com valor”.

Ele afirmou também que se soubesse de antemão dos campos de concentração não teria tido coragem de brincar com a “demência homicida dos nazistas”. Esse grande artista e pensador conseguiu ridicularizar a figura de Hitler e as idéias nazistas. Conseguiu fazer todos rirem: aquele riso que representa a vitória sobre o medo, que esclarece a consciência, que denuncia a opressão e as injustiças.

Mas como explorar consistentemente este filme em sala de aula?

Além das sugestões de procedimentos já sugeridos para o filme “Tempos Modernos”, LINK também de Charles Chaplin, pode-se discutir com os alunos após a projeção do filme:

  • A identificação do contexto histórico do filme “O Grande Ditador”, ressaltando-se tanto os aspectos evidentes na obra quanto as dúvidas e questões dos alunos, para serem objeto de pesquisa posterior. Não se esqueça de perguntar aos alunos que cenas do filme os levaram a fazer relações com o contexto histórico.
  • Após a explicitação do contexto, cabe estimular os alunos com a pergunta: que ponto de vista o filme expressa sobre o mundo contemporâneo de Charles Chaplin? Será o filme uma proposta de aceitação ou recusa de aspectos desse mundo?
  • Algumas cenas podem ser revistas para uma análise mais detalhada dos recursos que Chaplin utilizou para dar forma plástica às suas idéias. Sugere-se especialmente aquela em que o ditador Hynkel brinca com uma representação do mundo, com um globo terrestre. Que sentidos é possível atribuir a esse estranho balé?
  • O texto do discurso final, proferido pelo barbeiro judeu (no lugar de Hynkel) pode ser reproduzido e discutido em classe, para que os alunos percebam o sentido dos conflitos, o embate de idéias que faziam parte dos projetos político-sociais da época.

Bom trabalho!

Os sites indicados neste texto foram visitados em 11/09/2003

Referência:
O Grande Ditador, de Charles Chaplin. EUA, 1940, 128 minutos.

Em seu primeiro filme falado, Chaplin interpreta dois papéis opostos – o de um barbeiro judeu, enfrentando tropas de choque e perseguição religiosa, e o do Grande Ditador Hynkel, uma brilhante sátira de Adolph Hitler. O clímax clássico deste filme é o célebre discurso final, um libelo ao triunfo da razão sobre o militarismo. 

Texto Original: Ronilde Rocha Machado

Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *