Mafalda e o verbo gustar

Mafalda e o verbo gustar

Disciplina:

Língua Espanhola

Ciclo: Ensino Médio
Assunto: A conjugação do verbo gustar
Tipo: Metodologias

Em Língua Espanhola, para expressar gostos e preferências em seus diversos graus, é recorrente o uso do verbo gustar. Este verbo tem uma conjugação distinta em relação à Língua Portuguesa, singularidade que concorre para que os alunos apresentem algumas dificuldades relacionadas ao seu uso.

Enquanto a estrutura básica do Português é X GOSTA DE Y, sendo X o sujeito e Y o objeto indireto, em Espanhol, a estrutura básica é A X LE GUSTA Y, sendo X o objeto indireto e Y o sujeito. Há, portanto, uma inversão das funções gramaticais. Além disso, deve-se notar que o verbo gostar, em Português, requer a preposição de, e em Espanhol, não. Vejamos três pares de exemplos:

Grupo A:
1. Português: (Eu) gosto de ler.
2. Espanhol: Me gusta leer.

Grupo B:
1. Português: (Eu) gosto de cinema.
2. Espanhol: Me gusta el cine.

Grupo C:
1. Português: (Eu) gosto de crianças.
2. Espanhol: Me gustan los niños.

Note-se que o verbo gustar apresenta duas formas que se relacionam diretamente com os elementos que seguem:

  • Conjugação em terceira pessoa do singular – gusta – (grupos A e B) com verbo no infinitivo e com substantivo no singular.
  • Conjugação em terceira pessoa do plural – gustan – com substantivo no plural. Enquanto em Português emprega-se apenas uma forma verbal para a mesma pessoa, isto é, gosto, em Espanhol, usam-se duas formas para a mesma pessoa, isto é, gusta ou gustan. Isto se deve ao fato de que o sujeito gramatical nas construções com o verbo gustar não é a pessoa, mas aquilo de que se gosta (leer, cine, niños). Sendo assim, o verbo gustar, em Espanhol, deverá concordar com o que se gosta (o sujeito gramatical da frase) e não com a pessoa (a mí, a Juan…). Note-se, ainda, que o verbo gustar se conjuga como encantar e agradar (a mí me encanta/agrada leer). Aliás, tanto encantar como agradar têm o mesmo tipo de construção no Português, comentário que pode ser feito caso os alunos tenham dificuldade em entender a construção do verbo gustar.

Para trabalhar o verbo gustar em sala de aula, o professor pode utilizar algumas tiras da Mafalda, personagem criada por Quino, nas quais o verbo está conjugado no Presente do Indicativo. A atividade pode iniciar o estudo desse verbo, mas também pode ser empregada em algum momento de revisão, uma vez que os alunos sempre manifestam dúvidas em relação a seu uso.

  • O professor divide a sala em grupos e distribui uma folha para cada aluno com as tiras da Mafalda. Se os alunos ainda não conhecem os personagens, o professor pode identificá-los: Mafalda, Felipe, Manolito e Susanita.
  • Os alunos devem ler as tiras e discutir os gostos e preferências dos personagens. Em caso de dúvidas de vocabulário, o professor deverá esclarecê-las.
  • A partir das preferências dos personagens, os alunos devem discutir os seus próprios gostos em relação às estações do ano, à situação mundial, aos assuntos em que os homens e as mulheres podem divergir ou não, aos animais – em particular os cachorros e os gatos -, à música em geral – em particular os Beatles. A discussão também pode extrapolar esses temas, passando a considerar outros assuntos de interesse geral. O professor deve orientar a atividade de modo que os alunos usem o verbo gustar.
  • Após a discussão, os alunos devem analisar a conjugação do verbo gustar em cada uma das tiras e agrupar as ocorrências verbais seguindo um critério de semelhança e diferença. Depois, cada grupo deve apresentar suas conclusões sobre as regras de uso do verbo gustar.

A atividade pode ser encerrada com a elaboração de pequenos diálogos, nos quais necessariamente apareça o verbo gustar, que deverão ser apresentados à classe. Desse modo, o professor estimulará a expressão escrita e a oral. É bom destacar que, durante essa atividade, o professor trabalhou a compreensão da leitura, além cuidar de uma questão gramatical de singular importância.

Texto original: Luiza Martins da Silva e Tatiana Francini Girão Barroso
Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *