História e memória

História e memória

Disciplina:

História

Ciclo: Ensino Fundamental – 5ª a 9ª
Assunto: Memória
Tipo: Texto

O principal objetivo dessa atividade é relacionar História e Memória, a partir de uma visão que situa o indivíduo como sujeito da História.

A proposta, baseada no livro “Guilherme Augusto Araújo Fernandes”, de Mem Fox (veja um trecho do livro), é adequada para a primeira semana de aula e pode ser trabalhada em qualquer série do Ensino Fundamental II, com ênfase, no entanto, para a 5ª série. Para desenvolver o tema, será necessário disponibilizar quatro ou cinco aulas.

O livro conta a história de um garoto que é vizinho de um asilo de idosos. Ao saber que uma senhora da instituição, Dona Antônia, está perdendo a memória, preocupa-se em pesquisar o que significa esta palavra e como ela pode ser recuperada.

O protagonista investiga o tema e, a partir de alguns objetos, propõe uma experiência concreta para que os personagens compreendam o significado de memória.

Após uma conversa prévia com os alunos sobre o que é memória, o professor pode fazer a leitura do texto para eles (seguindo o próprio livro ou com auxílio do retroprojetor, em transparências). Por se tratar de um livro infantil, o texto é curto, com linguagem clara, e sua leitura dura em média 20 minutos.

O próximo passo é promover o debate sobre o tema, que pode ser direcionado por alguns questionamentos:

  • O que é memória?
  • Vocês concordam com as definições apresentadas pelos personagens?
  • Dona Antônia e Guilherme Augusto, com idades diferentes, conseguem relacionar memórias e objetos?Essas são algumas possibilidades que o professor vai ampliar de acordo com o ritmo do grupo e a intencionalidade da atividade. Para registrar o trabalho desenvolvido, é possível elaborar um texto coletivo em que os alunos expressem suas principais impressões sobre o tema.Dando continuidade, é interessante realizar a experiência descrita no livro: os alunos trazem para a sala de aula objetos significativos para eles (o professor deve limitar a quantidade – um objeto – pois, caso contrário, torna-se cansativo); depois explicam seu significado e os depositam em uma caixa, cesta, ou nas próprias carteiras dispostas para exposição.

    Por ser concreta, essa atividade visa a tornar o conceito de memória mais claro para os alunos e evidenciar que nossa história individual é única, mas está inserida em um contexto, pois vivemos em grupos e, portanto, fazemos parte da História que é constituída a cada dia.

    Por fim, é possível realizar outra atividade em conjunto com a disciplina de Língua Portuguesa, propondo aos alunos a realização de um trabalho escrito (texto narrativo) com o tema “Minha história”, no qual apliquem o conceito trabalhado.

    A partir desse texto, o professor pode conhecer a escrita de cada aluno (trata-se de uma espécie de diagnóstico de como os alunos escrevem e as principais dificuldades que devem ser trabalhadas). O professor elabora o roteiro de acordo com o seu grupo de trabalho.

    Observação: O professor não deve perder de vista que História não é unicamente memória, a fim de deixar o conceito claro para a classe.

    Referência:
    FOX, Mem. Guilherme Augusto Araújo Fernandes. São Paulo: Brinque-Book, 1984.

    Texto original: Maria Walburga dos Santos
    Edição: Equipe EducaRede

(CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *