Escrita nas classes de alfabetização: Aspectos discursivos e notacionais

Escrita nas classes de alfabetização: Aspectos discursivos e notacionais

Disciplina:

Língua Portuguesa/Literatura

Ciclo: Ensino Fundamental – 1ª a 4ª
Assunto: Organização do trabalho de alfabetização
Tipo: Metodologias

Escrever um texto é uma tarefa particularmente difícil para o escritor iniciante, pois não basta ter compreendido a natureza alfabética do sistema de escrita.

Além desse sistema, o aluno tem de conhecer o gênero discursivo no qual seu texto será produzido: sua forma composicional (como se organiza internamente), seu conteúdo temático (o que, normalmente, é possível dizer por meio do gênero em questão, por exemplo: um conto policial pressupõe um tipo de conteúdo diferente de um poema), suas características de estilo (características lingüísticas mais comuns, como seleção de adjetivos, localização dos adjetivos na frase, em relação ao substantivo, seleção lexical em geral, estruturação dos períodos, por exemplo).

Dessa forma, se for escrever um conto de fadas, tem de saber que esse gênero supõe necessariamente a presença de fadas e não apenas do elemento mágico. Também é comum a presença da madrasta, da heroína que sofre muito durante toda a trama para ser recompensada pela sua bondade ao final; dos amigos e inimigos da heroína, do príncipe salvador, com quem a heroína se casará e viverá feliz para sempre.

Além disso, o aluno precisa organizar seu texto de maneira a conter uma apresentação do cenário na narrativa, a caracterização de seus personagens, a apresentação da situação e do equilíbrio inicial da narrativa, a complicação da situação inicial, rompendo o equilíbrio dado, a resolução do problema criado, gerando um novo equilíbrio, e o encerramento da narrativa.

Se, por outro lado, quiser informar aos colegas da escola sobre determinado fato ocorrido, escrever um conto de fadas não será o gênero adequado; terá de organizar seu texto em forma de notícia, com características bem diferentes das típicas do conto de fadas.

Isso nos mostra que a escrita é uma atividade discursiva, ainda que esteja inserida em um processo de alfabetização. Se os aspectos discursivos são constitutivos da atividade de escrita, então é necessário oferecer referências discursivas para os alunos, discutindo-as — com o grau de aprofundamento possível e necessário nesse momento do processo de aprendizado — e considerando-as como aspectos a serem ensinados, da mesma forma que os notacionais (relativos à compreensão da natureza alfabética do sistema de escrita).

 

Texto original: Kátia Lomba Bräkling
Edição: Equipe EducaRede

  •  
 (CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)
20/02/2003

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *