A Guerra de Canudos

A Guerra de Canudos

Disciplina:

História

Ciclo: Ensino Fundamental – 5ª a 9ª
Assunto: Movimentos sociais, luta pela terra no Brasil
Tipo: Filme

Quando se busca estudar a História do Brasil para além dos fatos e feitos do oficialismo, deparamos-nos com eventos que permitem construir e compreender outros pontos de vista da mesma história, como no caso de Canudos.

No sertão da Bahia, no final do século XIX, já em plena República, um grupo de sertanejos liderados por Antonio Conselheiro edifica o Arraial de Canudos e nele deposita seus sonhos de vida digna, com muito trabalho e orações. Esses excluídos da ordem social latifundiária, que experimentam um projeto diferente de vida, mais coletivo e compartilhado, são atacados por forças governamentais. Defendem-se bravamente e acabam dizimados, restando alguns sobreviventes – idosos e crianças.

O longa-metragem “Guerra de Canudos”, de Sérgio Rezende, embora com enredo de ficção, permite uma discussão interessante a respeito dessa guerra e de suas motivações. Após a projeção do filme e da retomada de algumas cenas para melhor compreensão, podem-se sugerir as seguintes questões para discussão em pequenos grupos:

  • O cotidiano no Arraial de Canudos: o que mais incomodou?
  • A condição de “fanáticos religiosos” atribuída aos sertanejos: o que ela ocultava?
  • A quem interessava a destruição de Canudos? Por quê?Por fim, numa discussão coletiva, os alunos apresentam e organizam suas idéias, verificando possíveis aproximações e depois fazem uma síntese individualmente.

    Em tempo: chame a atenção dos alunos para a bela trilha sonora composta por Edu Lobo.

    Referência:
    Guerra de Canudos, de Sérgio Rezende.
    Brasil, 1997, 165 minutos.

    Em 1893, Antônio Conselheiro e seguidores passam a representar uma ameaça à República que acaba de ser proclamada. O envio de destacamentos militares para destruí-los leva esses sertanejos a lutarem para defender seus lares, mas a nova ordem não aceita o desafio. Assim, em 1897, esforços são reunidos para destruí-los. Esses fatos são vistos pela ótica de uma família, que tem opiniões conflitantes sobre o líder do movimento.

    Texto original: Ronilde Rocha Machado
    Edição: Equipe EducaRede

 (CC BY-NC Acervo Educarede Brasil)
04/03/2002

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *